Semana Santa: saiba como escolher um peixe de boa qualidade

santafeira-21316-29

Com a chegada da Semana Santa, a venda de peixes aumenta nos mercados e feiras de todo o país. Já virou tradição: reunir a família, deliciar-se com ovos de chocolate e peixe. O peixe se tornou um dos preferidos pelos brasileiros justamente por sua praticidade na cozinha e, principalmente, pelo seu sabor inigualável. Sua versatilidade de receitas também acaba sendo um dos grandes atrativos, já que permite inovar nos pratos e preparar um almoço com o pescado frito, assado, grelhado ou como complemento de recheios de lasanhas, risotos e escondidinhos.

Aprenda a identificar as condições para a compra do seu peixe:

Ambiente

  • A área destinada ao corte e descamação deverá ser protegida de intempéries (sol, chuva etc);
  • Todo o ambiente precisa ser limpo e higienizado frequentemente;
  • Todo o lixo (inclusive escamas) deve ser disposto em lixeiras com tampa e acionamento não manual;
  • Não utilizar papelões nos pisos;

Manipulador

  • As mãos dos manipuladores devem estar sempre limpas;
  • Utensílios e equipamentos devem estar sempre bem limpos, higienizados e em bom estado de conservação, não sendo permitido nenhum utensílio de madeira;
  • O uniforme deve ser de cor clara e estar limpo. Devem ser usados sapatos fechados e antiderrapantes ou botas de borracha;
  • Não é permitido o uso de brincos, pulseiras, anéis, correntes, etc;
  • Os cabelos devem estar protegidos (até as orelhas) com toucas ou boné;
  • Usar luvas adequadas.

Bacalhau

  • A principal recomendação no momento de comprar o peixe é observar sua aparência, coloração e textura. Ele não pode ter manchas escuras e nenhum tipo de rachaduras em sua carne. Outra dica importante é que o pescado não tenha partes fofas e nem umidade.

Pescado

         Lagosta e camarão

  • Aspecto geral brilhante, úmido e olhos vivos;
  • Carapaça e cabeça bem aderentes ao corpo, cheiro próprio e suave;
  • Coloração própria da espécie, sem mancha negra ou alaranjada na carapaça;

    Marisco e Ostra

    • Devem ser expostos à venda vivos, com valvas fechadas;
    • Apresentar cheiro agradável e pronunciado;
    • Ter a carne úmida, bem aderente à concha;

    Peixe fresco

    • Apresentar pele brilhante, úmida e tonalidade viva;
    • Apresentar escamas unidas, translúcidas e com brilho;
    • Olhos salientes, transparentes e brilhantes;
    • Odor suave ou ausente;
    • Membrana que reveste as guelras oferecendo resistência à abertura;
    • Carne firme, elástica e aderente aos ossos.

         Caranguejo e siri

  • Ser expostos à venda vivos e vigorosos, com olhos brilhantes;
  • Ter aspecto geral brilhante e úmido e apresentar cheiro próprio e suave;

Dicas

Temperatura – veja se os pescados são mantidos na temperatura recomendada pelo fabricante (refrigerados, congelados ou à temperatura ambiente). Nas peixarias, os balcões devem trazer a indicação da temperatura interna.

Embalagem – se optar por peixes embalados, observe se há etiqueta com o nome do produto, conteúdo líquido (quantidade ou volume que o produto apresenta), identificação da origem (identificação do país ou local de produção daquele produto), o lote e o prazo de validade.

Peixe congelado – os produtos congelados devem ser conservados nas temperaturas recomendadas pelos produtores. No freezer, não devem existir poças de água ou alimentos molhados, pois são sinais de que o equipamento foi desligado ou teve a temperatura reduzida.

Peixe fresco – os peixes frescos têm olhos brilhantes e salientes. As escamas devem ser unidas entre si, brilhantes e fortemente aderidas à pele. As guelras têm que possuir cor que vai do rosa ao vermelho intenso, ser brilhantes e sem viscosidade. O odor do peixe é característico, mas não pode ser repugnante.

Peixe “seco” – é dessecado de forma apropriada sem adição de sal (cloreto de sódio). Ele deve estar armazenado em local limpo, protegido de poeira e insetos, com ausência de mofo, ovos, ou larvas de moscas, manchas escuras ou avermelhadas, limosidade superficial e amolecimento. Não pode apresentar odor desagradável.

Com que peixe eu vou?

Os peixes têm carne muito delicada e correm o risco de secar se não forem grelhados com jeitinho. Suas chances de ter sucesso aumentam muito se você escolher um peixe gordo e de carne mais firme.

São bons para churrasco: sardinha, anchova, tainha, meca, olhete, olho-de-boi, dourado-do-mar, vermelho cioba, pintado, bacalhau. 

Não tão bons: robalo (precisa de molho de manteiga para ficar úmido), pescada, abadejo, linguado.

RECEITAS

Dourado à portuguesa:

Preparo: Numa frigideira, aqueça 2 colheres (sopa) de azeite e refogue 1 cebola fatiada e 1/2 pimentão vermelho em tiras. Ajuste o sal e reserve. Frite 5 dentes  de alho fatiados em 2 colheres (sopa) de azeite. Reserve. Tempere com sal grosso duas postas de dourado de mar (300 g cada) e asse-as na churrasqueira, 10 minutos do lado com a pele e 5 minutos do outro. Sirva com o molho de cebola aquecido e o alho frito.

Filé de peixe gratinado:

Ingredientes:

1 kg de filé de peixe de sua preferência 
1 kg de batatas cozidas em rodelas 
1 lata de molho de tomate 
200 g de mussarela fatiada ou ralada 
2 tomates em rodelas fatiados sem sementes 
sal a gosto 
caldo de limão para temperar 
pimenta-do-reino em pó ou outro tempo de sua preferência

Modo de preparo

Primeiramente, cozinhe as batatas em água até que elas fiquem nem tão macias nem tão duras. 
Tempere os peixes com caldo de limão e pimenta (ou outro tempero de sua preferência). 
Em um recipiente que possa ir ao forno, coloque as batatas de modo que elas cubram o fundo. 
Espalhe o molho de tomate. 
Coloque os filés de peixe e faça de novo camadas de batata, molho de tomate e peixe, até que eles acabem. 
Leve ao forno médio por 20 minutos. 
Retire, coloque a mussarela e leve ao forno novamente até que o queijo derreta.

Fonte: Diário da região/G1/Massa News

Foto: Reprodução/Internet

Departamento de Jornalismo – Rádio Mundo Melhor

 



WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com