Divulgados dados do 2º LIRAa em Governador Valadares

governador_valadares_panoramica

O segundo Levantamento Rápido de Índice de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) realizado pela Prefeitura de Governador Valadares apresentou resultado de 9%. Os dados divulgados nesta terça-feira (15) apresentam queda dos focos do mosquito em relação ao LIRAa de janeiro, quando o índice chegou a 10,9%. Apesar disso, o valor ainda representa alto risco de infestação, bem além do recomendado pela Organização Mundial de Saúde, que é abaixo de 1%.

Para a Prefeitura, a queda no LIRAa é reflexo das ações de combate ao mosquito, como mutirões de limpeza e instalação de 480 armadilhas em pontos estratégicos da cidade. Para as autoridades municipais, para diminuir ainda mais o índice de infestação é necessário empenho da população. Dados da Vigilância Epidemiológica apontam que 76% dos focos estão dentro das casas.

O maior índice foi registrado no Córrego dos Borges (50,0%). Os outros bairros com mais focos de infestação são: Parque Olímpico (33,3%), Vila Império (25,0%), Figueira do Rio Doce (21,1%), Cidade Jardim (21,4%), São Geraldo (20%), Jardim do Trevo (17,8%), Santa Paula (17,2%), Vila Ozanan (16,2%), Morada do Vale (15,4%), Vila Ricardão (15,4%) e Nossa Senhora de Lourdes (15%).

Queda nas arboviroses

Mesmo com os resultados dos dois últimos LIRAa’s, a Prefeitura afirma ter registrado queda no registro de arboviroses – doenças como a Zika, dengue e chikungunya – no município, passando de mais de 11.217 notificações em 2017 para 200 casos em 2018, até o mês de abril. Com isso, a cidade deixou o mapa de alerta estadual.

De acordo com Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES), no ano passado Governador Valadares respondeu por cerca de 36% de todas as notificações de arboviroses no estado. Neste ano, o município representa 1,23% dos casos em Minas Gerais.

Os registros de chikungunya passaram de 8.566 no ano anterior para 90 notificações em 2018. Já os casos de dengue passaram de 2.529 para 106, e os registros de zika foram de 122 casos para quatro.

De acordo com a Prefeitura, neste ano não foram registradas mortes suspeitas por arboviroses na cidade. Em 2017, a SES analisou 30 óbitos suspeitos de terem sido causados por chikungunya em Governador Valadares, sendo que 17 foram descartados, 12 confirmados e um ainda está em investigação.

76% dos focos do mosquito estão dentro das casas. Deste total, 32% correspondem a ralos destampados, calhas e lajes; 21,9% ao armazenamento incorreto de águaem recipientes; 21,40% a vasos de plantas; 16,40% ao armazenamento e descarte incorreto do lixo.

Fonte: G1 Vales

Foto: Reprodução/Internet

Departamento de Jornalismo – Rádio Mundo Melhor



WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com