Semifinais da Copa do Mundo 2018: craques, técnicos e desempenho das Seleções

regulamento-copa-2018

França x Bélgica e Croácia x Inglaterra – tudo o que você precisa saber sobre os quatro semifinalistas da Copa do Mundo 2018, na Rússia

O que esperar das semifinais da Copa do Mundo? A Goal Brasil prepara um raio-x dos quatro times que estão na penúltima fase do torneio que ocorre na Rússia.

França e Bélgica duelam nesta terça-feira (10), no Krestovsky Stadium, em São Petersburgo. Croácia e Inglaterra jogam no Luzhniki Stadium, em Moscou, na quarta-feira (11).

BÉLGICA

O craque

Quem apenas vê os convocados da Bélgica poderia apostar em Eden Hazard como o craque do time. Mas o camisa 10 não é o principal nome belga na Copa do Mundo. Não que ele faça um torneio ruim, longe disso. Contudo, é Romelu Lukaku quem goza do posto. O centroavante do Manchester United já marcou quatro gols e deu uma assistência em quatro jogos disputados. O jogador de 25 anos ainda foi determinante nas oitavas de final, quando os belgas bateram o Japão por 3 a 2, de virada. Ele participou do lance do último gol, fazendo corta-luz para o gol de Chadli.

O técnico

O espanhol Roberto Martínez é quem comanda a Seleção da Bélgica. Adepto do 3-4-3, o treinador costuma escalar três zagueiros no sistema defensivo, colocar uma linha de quatro no meio de campo, com um volante (Axel Witsel), um meia de ligação (Kevin De Bruyne), um lateral pelo lado direito (Thomas Meunier), um ponta pela esquerda (Carrasco), e três atacantes – Hazard, Mertens e Romelu Lukaku.

Apesar de sua preferência nítida em quase dois anos de trabalho, Roberto Martínez se mostrou versátil no jogo contra o Brasil, na semifinal da Copa do Mundo. Ele sacou um atacante – Dries Mertens -, recuou o lateral da segunda linha de quatro homens para a primeira e lançou o time em um 4-4-2. A opção fez a Bélgica se tornar mortal no contra-ataque, sobretudo com as subidas de Kevin De Bruyne pelo lado direito. Não é à toa que o camisa 7 marcou um gol para garantir o triunfo sobre a Seleção Brasileira.

A campanha

A Bélgica é o único time com 100% de aproveitamento entre os semifinalistas da Copa do Mundo. Os comandados de Roberto Martínez venceram todos os seus adversários em 90 minutos de jogo. A equipe passou por Panamá (3-0), Tunísia (5-2), Inglaterra (1-0), Japão (3-2) e Brasil (2-1).

FRANÇA

O craque

Kylian Mbappé é indiscutivelmente o craque da Seleção Francesa. Aos 19 anos, o atacante do Paris Saint-Germain brilhou em momentos decisivos e foi um dos grandes nomes na chegada à semifinal da Copa do Mundo. A sua principal atuação foi diante da Argentina, nas oitavas de final. O camisa 10 fez dois gols e ainda sofreu o pênalti convertido por Antoine Griezmann. Ele três gols na competição, uma média de um a cada 118 minutos até aqui.

O técnico

Didier Deschamps é o técnico da França. Contestado pelo futebol jogado na fase de grupos, quando venceu Austrália e Peru com muita dificuldade e não saiu de um empate sem gols com a Dinamarca, o técnico encontrou a formação ideal nas oitavas de final e a manteve nas quartas. Ele é adepto de uma formação bastante usada no futebol mundial – 4-3-3, com um centroavante fixo.

A campanha

O desempenho da França é muito bom até aqui. O time permanece invicto na Copa do Mundo, com quatro vitórias e um empate. Na fase de grupos, os franceses bateram Austrália (2-1) e Peru (1-0) e empataram com a Dinamarca (0-0). Nas oitavas de final, o time venceu a Argentina (4-3) e o Uruguai (2-0).

CROÁCIA

O craque

Luka Modric é o principal nome da Croácia na Copa do Mundo. Dono da camisa 10, o jogador que pertence ao Real Madrid marcou dois gols e deu uma assistência em 5 jogos disputados pela equipe. O meio-campista de 32 anos acerta 81% dos passes que tenta por jogo. Ele tem uma média de 60,2 tentativas por confronto até o momento.

O técnico

O esquema adotado pela Croácia é bastante usual no futebol mundial – 4-4-2. O técnico Zlatko Dalić é fã da forma de jogo e tem peças suficientes para reforçar o meio de campo e chegar ao ataque. Ele conta com três homens de qualidade na criação – Luka Modric, Ivan Rakitic e Ivan Perisic – e tenta fazer com que a bola chegue à dupla de ataque – formada por Andrek Kramaric e Mario Mandzukic.

A campanha

A Croácia surpreendeu na fase de grupos e obteve três vitórias consecutivas – Nigéria (2-0), Argentina (3-0) e Islândia (2-1). O time, no entanto, encontrou mais dificuldade no mata-mata e apenas empatou com Dinamarca (1-1) e Rússia (2-2). Em ambos os casos, os croatas venceram na disputa de pênaltis.

INGLATERRA

O craque

Não tem como falar do English Team e não pensar em Harry Kane. O atacante que pertence ao Tottenham Hotspur é o artilheiro da Copa do Mundo, com seis gols assinalados. Ele fez seis gols em três jogos e passou em branco nas quartas de final do torneio. A frequência é de uma bola na rede a cada 61 minutos.

O técnico

 

Gareth Southgate é a mente por trás da forte Seleção Inglesa, na semifinal de uma Copa do Mundo pela primeira vez desde 1990. O técnico monta a equipe em uma formação nada comum na atualidade. Ele escala seus comandados no 3-5-2 e força o jogo aéreo, sobretudo na direção de Harry Kane. O técnico conduziu um trabalho importante em relação às cobranças de pênalti e o English Team venceu uma disputa desta pela primeira vez na história da Copa do Mundo. Havia um treinamento sobre as penalidades desde março passado.

A campanha

A Inglaterra iniciou a Copa do Mundo com boas atuações e obteve duas vitórias consecutivas, diante de Tunísia (2-1) e Panamá (6-1). O English Team perdeu para a Bélgica (1-0) e se classificou no segundo lugar do Grupo G. Nas oitavas de final, a equipe empatou com a Colômbia (1-1), mas se classificou nos pênaltis. Os ingleses bateram a Suécia por 2 a 0 nas quartas de final.

 

Fonte: Superesportes

Foto: Reprodução Internet

Departamento de Jornalismo – Rádio Mundo Melhor