Hoje é o Dia Nacional de Controle do Colesterol

28-0818-0005-colesterol1

Neste dia 08 de agosto se comemora o Dia Nacional de Controle do Colesterol. E a data tem como objetivo promover a conscientização sobre a importância da prevenção e tratamento do colesterol alto. E apesar de muitas pessoas acharem que o colesterol é um inimigo do coração, a verdade é que ele é muito importante para o nosso organismo e por isso precisa ser controlado.

Nós temos dois tipos de colesterol o bom e o ruim. E quando as taxas do colesterol ruim, também conhecido como LDL, estão altas há grandes chances dos problemas cardíacos surgirem. De acordo com o cardiologista e cirurgião cardiovascular, Schariff Moysés uma boa maneira de diminuir os níveis de colesterol é por do controle alimentar. “A alimentação é a origem de 30% do que temos no corpo. Por isso, a dieta é capaz de reduzir os níveis de colesterol em 15%”, explicou.

Além disso, a prática de atividades físicas regulares contribuem ainda mais para a redução desses níveis. Também é necessário realizar exames períodicos visto que o excesso de colesterol LDL não apresenta sintomas, o que o torna ainda mais perigoso. O exame de sangue é capaz de identificar as taxas de colesterol e, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, os níveis recomendados são 70mg/dL, não ultrapassando 100mg/dL no sangue.

Os tratamentos para o colesterol LDL são na maioria dos casos, a dieta juntamente com a prática de exercícios. Porém, para as situações de alto risco é necessário o uso de medicação. “Existem remédios para controlar o colesterol alto, indicados apenas para pessoas com alto risco. As mudanças no estilo de vida são a nossa primeira recomendação, aconselhamos que reduzam o estresse, pratiquem exercícios físicos e mantenham o peso adequado com uma dieta balanceada”, explica o cardiologista.

Confira algumas dicas para manter o colesterol em dia:

– Praticar exercícios físicos;

– Não fumar;

– Evitar o estresse;

– Comer mais frutas e vegetais;

– Dar preferência a carnes brancas, grelhadas ou assadas;

– Comer alimentos ricos em fibras como aveia, pães integrais e maçãs;

– Utilizar derivados de leite pobres em gordura: leite desnatado, iogurte desnatado e sorvetes light;

– Evitar frituras.

………………………………………………………………………………………………….

Uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) constatou que os níveis de colesterol elevado atingem cerca de quatro em dez brasileiros adultos. Isso significa cerca de 60 milhões de pessoas ou 40% da população.

O estudo ainda revelou que aproximadamente 11% nunca fez exame de colesterol e quase 70% só realizou o exame após os 45 anos de idade. O levantamento foi feito com 850 pessoas de todo o Brasil.

Segundo dados da Pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) de 2016, realizado em todo o país, os índices elevados de colesterol são mais frequentes em mulheres (25,9%) do que em homens (18,8%). Adultos entre 55 e 64 anos são os mais afetados (41%).

O colesterol, tipo de gordura produzida pelo fígado, é responsável pela sintetização de hormônios, como testosterona e estrógeno, e componente das membranas celulares. Cerca de 70% é produzido pelo corpo, sendo o restante adquirido pela alimentação.

Tendências genéticas, obesidade, diabetes, hipertensão e sedentarismo são fatores que contribuem para a elevação dos índices do colestrol. Em excesso, ele acelera o entupimento de artérias, levando ao infarto ou ao AVC.

Hábitos como alcoolismo e tabagismo, associados a níveis elevados de colesterol, contribuem para o aumento do risco de doenças cardiovasculares. O alcoolismo interfere diretamente no fígado, onde o colesterol é metabolizado, e o tabagismo bloqueia a metabolização dessa gordura.

Fonte: R7/Zero Hora/Hoje em Dia

Foto: Reprodução Internet

Departamento de Jornalismo – Rádio Mundo Melhor