Polícia Civil prende 20 pessoas ligadas a organização criminosa durante operação em cidades do Leste e Triângulo Mineiro. Ação é consequência da operação ‘Rota 33’, que começou há cerca de um ano e apreendeu grande quantidade de drogas nas cidades de Valadares, Frei Inocêncio, Itanhomi e Ituiutaba

operacao-pc-trafico-de-drogas-3-

Vinte pessoas foram presas nesta quarta-feira (13) durante a operação “Rota 33”, deflagrada pela Polícia Civil para desarticular uma organização criminosa que atuava nas cidades de Governador Valadares, Itanhomi e Frei Inocêncio, no Leste de Minas, e em Ituiutaba, no Triângulo Mineiro. Além das prisões, a operação já apreendeu cerca de 270 kg de maconha, 40 kg de pasta base de cocaína, quatro veículos, armas de fogo, munição e R$10 mil.

A operação foi batizada por conta da localização de Governador Valadares, que facilita a passagem de drogas para outras cidades e estados.

“A operação recebeu a denominação de ‘Rota 33’ exatamente para demonstrar que Valadares é tida como uma cidade atrativa para o escoamento e permanência para o tráfico de drogas. Basta ver que a cidade é cortada por rodovias federais e estaduais. Neste caso, nessa investigação que a delegacia de tóxicos de Valadares conseguiu implementar, restou demonstrado que uma grande organização criminosa devidamente estabelecida no Triângulo Mineiro, em Ituiutaba, estava não apenas distribuindo e fornecendo drogas aqui no Leste de Minas, como também levando essas drogas para os estados do Espírito Santo e Bahia”, explicou o delegado Fábio Guilherme Barreto.

Ainda de acordo com o delegado, as investigações apontaram uma ligação entre traficantes do Triângulo Mineiro com Valadares. “Após um ano de investigações conseguiu-se demonstrar que Valadares tinha um link direto com Ituiutaba. Os maiores traficantes de Valadares recebiam essa droga diretamente dessa organização criminosa e repassavam para setores e segmentos de menor escalão na cidade. Esse principal traficante foi preso e a partir dessa prisão foi possível a identificação dos principais membros dessa organização criminosa”, esclareceu.

Organização e patrimônio do tráfico

O delegado Clériston Lopes de Amorim apontou características que levaram a Polícia Civil a constatar que tratava-se de uma organização criminosa atuando em conjunto no tráfico.

“As condutas foram devidamente individualizadas, nós identificamos que existem diferentes funções. Existem os traficantes que são os fornecedores da droga, existe o grande traficante em Valadares que foi preso, que distribui para outros traficantes. Existem pessoas que são ‘braços direitos’ desse grande traficante, que são responsáveis por distribuir e guardar as drogas”.

Além das apreensões, a Polícia Civil solicitou bloqueio bancários referentes à organização. “Seis contas bancárias dos fornecedores da droga, que são da região de Ituiutaba. Pedimos o bloqueio dessas contas. No total pedimos bloqueio de 25 contas de pessoas físicas e jurídicas ligadas a essa associação criminosa”, explicou o delegado Clériston Lopes.

Para ele, o bloqueio se justifica para afetar a saúde financeira da organização. “O objetivo dessa operação não é só prender traficantes. Foi realmente desmantelar essa organização que já estava instalada em Governador Valadares, mas que tinha braço direto no Triângulo Mineiro, o braço fornecedor. A gente entende que só prender o traficante e não tirar o patrimônio obtido de maneira ilícita não rende muito fruto. Não resolve muita coisa”.

Fonte: G1 Vales

Foto: Reprodução/Internet

Departamento de Jornalismo – Rádio Mundo Melhor



WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com