Definição sobre reforma da Previdência leva governo à fase de convencimento

Previdencia Social – Henry Milleo-5-khhD-U20873051549P7E-1024×576@GP-Web

O Secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, afirmou nesta quinta-feira que a proposta do governo prevê idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e 62 para mulheres e tempo de transição de 12 anos. Ainda segundo Marinho, o presidente Jair Bolsonaro fará um pronunciamento à nação sobre o texto da Reforma da Previdência, na próxima quarta-feira, dia 20 de fevereiro. E então a proposta será encaminhada ao Congresso.

O texto passará primeiro pela Câmara dos Deputados. A declaração de Rogério Marinho foi na saída do Palácio da Alvorada, onde estiveram reunidos com o presidente o ministro da secretaria de governo, Santos Cruz, da economia, Paulo Guedes, e equipe.

De acordo com o secretário, foi o presidente Jair Bolsonaro que definiu as idades mínimas. Ele chegou à conclusão após debate com a equipe econômica que queria manter a mesma idade para ambos os sexos. Ainda segundo Marinho, o texto já começa a circular nas instâncias internas do Governo Federal.

Mais detalhes sobre a proposta de reforma da Previdência deverão ser apresentados na próxima quarta-feira (20), quando Bolsonaro assinará o texto e o governo fará a apresentação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) ao Congresso. É esperado, inclusive, que o presidente faça pronunciamento sobre a proposta, enquanto o governo prepara uma espécie de  campanha publicitária com o intuito de construir a base de apoio para conseguir aprovar o texto, desmistificar algumas questões para a imprensa e a população e reiterar a necessidade da reforma e os benefícios que esta traria ao País, focando no médio e longo prazo.

Segundo declarações de Guedes , está previsto pelo Ministério da Economia uma redução de gastos na ordem de R$ 1 trilhão, o que representaria cerca de um terço do avanço do deficit da Previdência  do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) previsto para o período de dez anos, que compreende de 2020 a 2029. Segundo a Secretaria Especial de Previdência do Ministério da Economia, esse montante deve chegar a R$ 3,1 trilhões, e representa a soma dos resultados anuais, desconsiderando a inflação. Não foi confirmado após a reunião, no entanto, qual será a economia projetada pela proposta escolhida por Bolsonaro.

O foco do governo com as mudanças na Previdência é, segundo o chefe da Economia, tentar controlar o rombo previdenciário previsto para os próximos anos. O entendimento é que zerar o deficit público não é factível, uma vez que o endividamento ao final de 2018 representava 76,7% do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no País, mas sim reduzir o rombo e tentar equilibrar as contas. Segundo projeção do Banco Central (BC), a  prévia do PIB do ano passado aponta crescimento de 1,15%. Os resultados oficiais serão divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 28 de fevereiro.

Fonte: Portal iG

Foto: Reprodução/Internet

Departamento de Jornalismo – Rádio Mundo Melhor



WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com