Em GV, falta de recursos pode provocar suspensão do atendimento às cidades vizinhas no Hospital Municipal

{ACAAB772-ED05-DEB8-B06B-CA2B1B8CC62E}

A partir do dia 1º de Julho (01/07), os centros de referência passam a funcionar em meio período, conforme escala a seguir. Confira:

  • Das 6h às 12h: Policlínica Central, Ortopedia do Hospital Municipal (funciona dentro da Policlínica), Farmácia Central, Laboratório, CEO, CROS, COM.
  • Das 7h às 13h: CADEF, CREDEN-PES, CEAE, CRASE, CERSAM, CEREST, CAPS-AD, CAPS-I e DVS.
  • Das 12h às 17h: TFD e SUS Fácil.

O complicado cenário da saúde de Governador Valadares por conta da falta repasses de recursos do Governo do Estado à cidade foi apresentado na tarde desta sexta-feira (28) pelo Prefeito André Merlo e o Secretário Municipal de Saúde Enes Cândido em uma reunião no auditório da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Na oportunidade a Deputada Estadual Celise Laviola, 14 prefeitos da região, 25 secretários de saúde, representantes e servidores estiveram presentes e puderam ter acesso às informações que apontam uma dívida em torno de R$ 86.358.443,67 milhões de reais referente ao período de janeiro até 31 de maio deste ano. Rômulo Gusmão esteve na reunião representando a Superintendência Regional de Saúde (SRS).

Com o déficit, a cada dia fica mais difícil para a Prefeitura garantir atendimento para as centenas de pessoas – daqui e de outros municípios – que diariamente procuram atendimento no Hospital Municipal (HM). A inconsistência nos repasses constitucionais, o fechamento de unidades em cidades vizinhas, e a crise geral que permeia o sistema público de saúde em todo o Brasil são as principais causas desta dificuldade. Nos últimos dois anos, a gestão municipal não tem poupado esforços e investimentos para manter todos os serviços – especialmente o Hospital – funcionando de forma digna e humanizada. “A saúde não pode ficar do jeito que está! Não podemos aceitar e é por isso que estamos aqui pra mais uma vez dialogarmos e encontrarmos uma solução”, afirmou o prefeito André.

Mesmo diante deste desafio diário o prefeito André Merlo e o secretário de Saúde Enes Candido, não têm medido esforços para regularizar toda esta situação. Eles têm trabalhado, buscado ajuda com deputados, provocado um diálogo com o Governo e uma solução imediata para a situação. Tudo para não deixar que as pessoas que dependem dos serviços em saúde sejam prejudicadas.

E ainda com o objetivo de minimizar os reflexos, macro e micro região continuam sendo atendidas. Para não deixar a população desassistida, outra importante decisão foi tomada: “Se até o mês de agosto deste ano não houver a regularização, ou pelo menos perspectiva de regularização, com uma previsão de data para chegarem os repasses, a Prefeitura vai tomar as medidas legais junto aos entes federativos, devolvendo a pactuação ao Estado (para que ele reencaminhe os municípios pactuados para outros centros de referência) e comunicando a interrupção do atendimento às cidades vizinhas no Hospital Municipal” enfatizou Enes.

Fonte: Prefeitura de Governador Valadares

 Foto: Reprodução/Internet

Departamento de Jornalismo – Rádio Mundo Melhor



WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com